A equipa do OOZ Labs consiste em três pessoas–o Luís Correia, o Nuno Correia e o Nuno Nunes–que se conheceram inicialmente através da comunidade do twitter de Lisboa, nos eventos do Twittlis.

capture image

Desta comunidade mais alargada de gente muito diversa, surgiu um subgrupo de pessoas mais interessadas em tecnologia e em particular nos seus aspectos mais relacionados com a eventual singularidade tecnológica. Esse grupo responde pelo nome de One Over Zero e os seus elementos apelidam-se de “Lagostas” (ver Accelerando, obra de Charles Stross). O Luís, o Nuno e o Nuno são todos lagostas e têm um gosto especial por concretizar projectos.

skill set desta equipa vai desde pacíficos administradores de sistemas até bofhs, passando por carpinteiros de mão cheia, programadores de fim-de-semana, músicos amadores, filósofos de bar, fotógrafos ocasionais, inventores loucos e por aí fora. Tudo concentrado em três pessoas!

Decidimos criar este projecto, os laboratórios/oficinas do One Over Zero, para dar largas à nossa vontade de criar e para partilhar conhecimento e experiências com a comunidade Maker de lingua portuguesa. Quem sabe até para ensinar qualquer coisa!

Podem encontrar aqui o press kit, com informações mais detalhadas sobre a equipa e o projecto.

Nuno Nunes

O Nuno é, antes de qualquer outra coisa, um curioso. O mundo está cheio de coisas interessantes para aprender, descobrir, explorar… O facto de estar envolvido neste projecto garante que no meio de tudo o que tenta fazer em simultâneo, há sempre um pedaço do seu tempo que é dedicado a criar e construir coisas. A ser aquilo a que chamam de Maker. Desde cedo sentiu a necessidade de perceber como o mundo funciona e a melhor maneira de o descobrir era manipular e explorar os objectos à sua volta. [Leia mais]

Nuno Correia

Nuno Correia
Nuno Correia

 

Luís Correia

Tem uma relação de 40 anos com a electrónica e diz que entende alguma coisa dos computadores. Desde pequeno que desmonta tudo o que deixou de funcionar ou que pretende saber como é que funciona por dentro. Por esta razão, o único brinquedo que conseguiu realmente escapar à sua infância foi um bloco de 2×4 LEGO™. Vive rodeado de computadores desde 1983, o ano em que lhe ofereceram um Sinclair ZX Spectrum vindo directamente de Inglaterra. [Leia mais]